A maior feira de cultura negra da América Latina.

Instagram

Preservação audiovisual | Memórias pretas em movimento

Detalhes

Data: dezembro 03, 2019 10:30
Localização: IMS Paulista
Tipo de evento: Festival Feira Preta 2019
voltar

Sobre

com Day Rodrigues, Débora Butruce, Hernani Heffner, Heitor Augusto e Ines Aisengart Menezes.
Entre os dias 3 e 5 de dezembro, o cinema do IMS em parceria com a Feira Preta promove
um breve curso de preservação audiovisual direcionado a profissionais negros que trabalham
com audiovisual em áreas como realização, pesquisa, montagem, roteiro, etc. O curso
funcionará como introdução à conceitos e algumas práticas chave de preservação
audiovisual (preservação de elementos digitais e analógicos, restauração, pesquisa e
difusão) , considerando tanto a produção contemporânea quanto filmes mais antigos e as
especificidades da conservação da produção audiovisual realizada por profissionais negros
no Brasil.
Serviço
3 a 5 de dezembro, terça a quinta
10h30 às 17h30
Sala de aula
Grátis.
35 lugares
Inscrições antecipadas pelo site a partir de 1/11 imoreirasallespaulista.eventbrite.com ou no dia do evento na bilheteria do IMS Paulista, a partir das 10h.
Os interessados deverão se matricular até o dia 17 de novembro.Os selecionados serão notificados da confirmação da matrícula por e-mail até 22 de novembro. 
Programa do curso
Dia 3 de dezembro
10h30 às 13h30 (parte 1) // 14h30 às 17h30 (parte 2)
O que é preservação audiovisual? com Hernani Heffner
Dia 4 de dezembro
10h30 às 13h30
Preservação de suportes fotoquímicos, com Débora Butruce
14h30 às 17h30
Preservação de vídeo e digital, com Ines Aisengart Menezes
Dia 5 de dezembro
10h30 às 13h30
Pesquisa e curadoria do audiovisual negro no Brasil, com Heitor Augusto
14h30 às 157h30
Projetos de preservação na realização negra contemporânea, com Day Rodrigues
Day Rodrigues é cineasta, produtora cultural, educadora e escritora. Natural de Santos (SP), reside hoje na cidade de São Paulo. Fez parte da equipe de diretores da série Quebrando o Tabu (2017/ 2019), para o canal GNT, que foi premiado no New York Festivals TV e Films (USA), em abril de 2019; e o seu episódio “Racismo e resistência” acabou de ser premiado na MIPCOM Diversify TV Excellence Awards 2019 (Cannes/ França). Em 2017, no XXI Cine PE – Festival Audiovisual (Recife), foi premiada pelo documentário “Mulheres Negras: Projetos de Mundo” (direção de Day Rodrigues e Lucas Ogasawara), nas categorias júri popular e direção, o qual faz parte da programação do Canal Brasil. Dirigiu e roteirizou o documentário “Uma geografia das desigualdades”, realizado pela Oxfam Brasil, o videoclipe “Papo reto”, da dupla Craca e Dani Nega e os curtas-metragens “Ouro Verde – a roda de samba do Marapé” e “Para costurar folhas secas”. Atualmente, coordena a “Residência Artística em Audiovisual Mulheres Negras – Projetos de Mundo”, projeto selecionado pelo edital Rumos/ Itaú Cultural.
Débora Butruce.
Preservadora e restauradora audiovisual, pesquisadora e produtora cultural. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP com pesquisa sobre a restauração de filmes no Brasil e o impacto da tecnologia digital para a área. Realizou doutorado sanduíche na Universidade de Nova Iorque, no Programa de Arquivística e Preservação de Imagens em Movimento. É a atual vice-presidente da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual – ABPA.
Heitor Augusto atua como curador, crítico de cinema, pesquisador e tradutor. Curador da retrospectiva Cinema negro: Capítulos de uma história fragmentada (Festival de Curtas de Belo Horizonte, 2018), que exibiu 25 curtas realizados entre 1973 e 2018 por diretores negros. Também programou filmes para o Festival de Brasília (2018 e 17), Instituto Tomie Ohtake (2018), Casa Lúdica (2019), entre outros. Mantendo constante contato com a diáspora negra, atualmente faz investigações curatoriais das manifestações experimentais e queer negras no cinema, tecendo possíveis pontes entre Brasil e Estados Unidos. Cofundador do NICHO 54, instituto que atua na formação de pessoas negras no audiovisual. Atua como Programme Advisor do Red Sea Film Festival. Mantém o Urso de Lata (www.ursodelata.com), onde exercita uma escrita que habita as interseções entre raça e análise fílmica.
Hernani Heffner é Conservador-Chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Formado em Comunicação Social pela UFF, atuou como pesquisador da Cinédia e posteriormente restaurou alguns títulos da companhia. Lecionou em diversas universidades e cursos livres, em especial história do cinema e preservação audiovisual. Foi curador dos festivais Cine Música e Mostra de Cinema de Ouro Preto (Temática Preservação). Trabalha como ator esporadicamente.
Ines Aisengart Menezes
Preservacionista audiovisual, com graduação em Cinema na UFF e mestrado em 'Heritage Studies: Preservation and Presentation of the Moving Image' (Universiteit van Amsterdam).
Trabalha no setor de Preservação da Cinemateca Brasileira desde 2016 e é cocuradora da
temática de Preservação da CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto desde 2017.
Anteriormente, trabalhou por um ano no Eye Film Institute Netherlands e no Rio de Janeiro
– nas áreas de preservação audiovisual, pesquisa, curadoria, produção, financiamento e
produção editorial.
ONLINE